Voltar

Leve como tudo que é essencial

Agora pare pra pensar. Quando foi a última vez que você viu evangelho no seu dia, sem estar com a bíblia na mão? Pergunta babaca, né? Mas tente discordar. O evangelho não é aquilo que você professa quando perguntam coisas clichés e você é obrigado a responder cartilhas padronizadas, versículos gastos, fora do contexto. O evangelho não é exclusivamente o versículo brega naquele chaveiro. Não é.

Na verdade, o evangelho está acontecendo agora. Enquanto algumas pessoas sentam ao seu lado na igreja, enquanto outras não entendem muito bem o porque de você fazer isso. O evangelho está nos valores do rico que era pobre e venceu na vida. Está no rico que ficou pobre e ainda assim sabe sorrir. O evangelho está na carona que o seu amigo deu e que foi importante para que as coisas fossem realizadas a tempo. O evangelho está no não que você ouviu, na porta que se fechou, na música que você gostou porque de certa forma confortou o seu coração. O evangelho está no fato de perceber isso. Ele está acontecendo agora mesmo, enquanto milhões de pessoas acham que as atitudes que ele nos leva a ter são idiotices, uma cafonices, covardia. Pare e pense nisso: o evangelho pode ser o motivo de chacota para zoar um cara com atitudes diferentes das do resto do mundo, mas hey, quem disse que não há merito na ousadia de ser diferente?

Isso nos leva para um ponto, porque talvez as pessoas ao seu redor não conheçam o tal do evangelho, mas elas com certeza sabem distinguir atitudes sábias e atitudes burras. Se elas não sabem distinguir nem isso, então espere, porque elas sabem diferenciar os frutos, experimentá-los, prová-los. E é aí que tá: o evangelho pode fazer de você uma pessoa muito perigosa. Uma pessoa misteriosa, com segredos, com coisas que só você vê, só você fala. E é aí que tudo começa a fazer sentido pra você. É mais do que a sua rotina espiritual, mesma oração e os mesmos sonhos sem coragem. É mais do que isso porque quando falamos de evangelho, fica impossível não pensar no fato de que para ele ter acontecido, barreiras e batalhas foram travadas, vencidas, e acredite: desejadas. Ele é o desejo de não ser igual ao resto. Num mundo de notícias, ele é a boa notícia. O quanto perigoso pode ser isso, no meio de mentes condicionadas à mesmice? O quão profundo é, no meio de um mundinho com solo tão seco e raso, baseado apenas em tristezas e corrupção? Acho que está na hora de você se envolver um pouco mais com as palavras que ouve, escreve, canta, e até ministra. Ele precisa andar com você não como uma mala de 90 quilos. Ele é leve como tudo que é essencial.

Quando você entende que o evangelho deve ser como o seu jeans e a sua camiseta branca, tudo muda. Não é difícil. Não é demais para você, nem de menos. É simplesmente pra você. O evangelho é pra você e quer se manifestar nos seus detalhes. Tá louco pra frustrar religiosos, invejosos e mentirosos. O evangelho é a tecnologia do reino. Sem ele, as coisas não se ligam, não são continuadas. É, o evangelho é a tecnologia do reino porque o mundo está quebrados, os outros reinos estão falidos, as pessoas estão quebradas, as emoções não funcionam mais pra nada, e esta é a oportunidade perfeita de você fazer parte de um reino sem vírus, e sem ser escravo. O evangelho é essa afronta que diz “hey preso, que tal viver a liberdade que você nunca pensou que existisse?”

Que hoje você entenda: não há limites para o evangelho morar na sua vida. É mais importante do que morar no seu domingo ou na sua bíblia caquética, que só se abre aos domingos entediantes. Aprenda a usar a tecnologia: misture com a sua vida, suje a sua vida com o evangelho. Ainda que não entendam suas atitudes, ainda que julguem você pelo o que você não fez ou não disse, ou não buscou. Busque o que faz sentido pra você: você sairía pra vida sem calça jeans e camiseta?

Texto da sempre surpreendente Luciana Elaiuy

Título original: ‘calça jeans & camiseta’ Publicado no umpontoum