Voltar

Fatos estranhos da nossa infância política.

 

FATOS ESTRANHOS DA NOSSA INFÂNCIA POLÍTICA

1. Perder amigo por causa do Aécio e da Dilma.

2. Fazer forte campanha pelo candidato preferido e deixá-lo livre, depois de eleito, para que faça (ou não faça) o que bem entender.

3. Falar ousadamente sobre política pelo Facebook, mas não ir para a rua quando o governo não cumpre o que promete, escândalos de corrupção sacodem o país e massacres como o de Carandiru nos envergonham perante as demais nações.

4. Gritar contra as injustiças sociais, mas não estar envolvido concretamente com nenhuma entidade que lute pela melhoria das condições de vida dos seres humanos.

5. Revelar forte indignação contra a corrupção, mas molhar a mão do policial, comprar maconha com bandido e sonegar imposto.

6. Bradar contra a exploração capitalista, mas remunerar pessimamente a empregada doméstica.

7. Replicar fotos engraçadas que fazem piada com políticos, mas não apoiar nenhuma campanha online de pressão política.

8. Conhecer apenas o ponto de vista do partido da sua preferência, e, como cego obstinado, recusar-se a ouvir o que o outro lado tem a dizer.

9. Imaginar que o poder econômico, que quer que você se dane, não tenha interesse em ambas as candidaturas.

10. Acreditar que os políticos são os únicos responsáveis pela desigualdade e miséria do planeta. Você e eu, seres loucos de amor por si mesmos, não fazemos outra coisa na vida que não seja buscar a nossa felicidade pessoal, o que nos leva a distorcer e negar a verdade, e ignorar o próximo.

Antônio Carlos Costa