Voltar

Diga NÃO ao medo!

medo-100308

Em certas ocasiões, o medo é razoável. Mas recomenda-se muito cuidado com a reação ao medo. Quando soube que grande multidão vinha contra ele, o rei Josafá teve medo. Por isso, ?se pôs a buscar ao Senhor? (II Crônicas 20:3). Essa é a reação correta frente ao medo. Caso contrário, ele leva à fraqueza, ao desespero, ao pânico.

Adão teve medo de Deus porque estava nu, depois de haver comido o fruto proibido (Gen. 3:10). Jacó teve medo de seu irmão Esaú quando ele veio ao seu encontro com 400 homens armados (Gen. 32:7). Daví teve muito medo de Aquis, rei de Gate (I Sam. 21:12). Saul teve grande medo das complicações que ele mesmo cultivou no final de sua vida (I Sam. 28:5,20). Pedro teve medo quando se viu andando sobre as águas e reparou na força do vento (Mat. 14:30).

Ao sentir medo, recorra ao Senhor em suas orações, exercite sua fé, deixe de olhar para a fonte do medo e olhe para o Autor e Consumador da fé (Heb. 12:2).

O medo adoece, maltrata, atravanca, paralisa, humilha, apavora e faz sofrer. Não contorne o medo, não se acostume com ele. Enfrente-o, faça-o afastar-se e desaparecer.

Um dos mandamentos dados a Josué , aquele que deveria introduzir o povo na terra prometida, é a lei da coragem: ?Sê forte e corajoso, não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares? (Josué 1:9).

O mesmo conselho deu Daví ao jovem Salomão: ?Sê forte e corajoso e faze a obra; não temas nem te desanimes, porque o Senhor Deus, meu Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que acabes todas as obras para o serviço da Casa do Senhor? (I Cr. 28:20).

A mesma ordem é dada a você: ?Sê forte e corajoso!?